Dominar o seu dinheiro: Caminhos para a liberdade financeira pessoal

0
15

Tal como um animal selvagem que, após anos de clausura, vê a liberdade, a partir do momento em que abrimos a carteira, o nosso dinheiro parece ganhar asas e abandonar-nos com muita facilidade e pertinácia.

Perdoem-nos esta comparação zoológica, mas a verdade é que, para a maioria dos portugueses, o dinheiro vai com a mesma rapidez com que vem, tornando a gestão do orçamento mensal uma tarefa digna de um Prémio Nobel da Economia.

Apesar de ser sempre uma honra termos mais um Nobel português, o que se deseja é que ninguém tenha de se tornar num para conseguir que o dinheiro chegue até ao fim do mês.

Para ajudá-lo nesta tarefa aparentemente hercúlea, vamos deixá-lo com algumas dicas para desbravar o espinhoso caminho para a sua liberdade financeira.

Venha daí!

Caminhos para a liberdade financeira pessoal

1º Crie um orçamento

Para perceber em que ponto financeiro é que se encontra e poder elaborar um plano de ação racional e adequado às suas necessidades, comece por criar um orçamento.

Neste orçamento, devem caber todas as despesas e rendimentos mensais do agregado (incluindo despesas e rendimentos extra).

A partir da análise deste orçamento, vai poder ficar com uma noção mais exata de onde poderá cortar gastos e maximizar a poupança.

Entre outros cortes nas “gorduras”, procure renegociar contratos de energia e telecomunicações, cortar nos almoços/jantares fora de casa e até na utilização do seu automóvel.

2º Crie um fundo de maneio

Se o corte nas despesas for bem-sucedido, é importante que utilize o “excedente” para criar um fundo de maneio que lhe permita fazer face a um imprevisto.

Na prática, este fundo de maneio deve conter o equivalente a entre três e seis salários mínimos.

3º Aposte num cartão de crédito com cashback

É incontornável, os cartões de crédito fazem parte da vida quotidiana de milhares de portugueses permitindo-lhes, entre outras coisas, subscrever serviços de streaming, pagar contas ou fazer compras online.

Apesar das evidentes vantagens, sem o devido controlo sobre a utilização do seu cartão, a fatura mensal a pagar ao banco emissor do cartão pode ser mais alta do que desejava e colocar em causa a sua independência financeira.

Dominar o seu dinheiro: Caminhos para a liberdade financeira pessoal

Sabia, contudo, que é possível efetuar compras com um cartão de crédito e receber dinheiro de volta?

É verdade, tal é possível através da funcionalidade cashback que, na prática, significa que podemos receber de volta, mensalmente, uma percentagem (pré-estabelecida pelo banco ou instituição financeira) daquilo que gastamos com o cartão.

Esta percentagem, em média, varia entre os 1% e os 3% e, como referimos, está diretamente ligada ao valor que gaste mensalmente. Por isso, recomendamos que utilize o cartão de crédito com cashback com compras de maior valor para que o valor a receber no mês seguinte seja, também ele, maior.

Por exemplo, com o , poderá receber de volta até 200€ de volta nas compras realizadas durante os primeiros 12 meses.

Isto acontece porque, no UNIBANCO, os valores de cashback oscilam entre os 20 euros mensais para um montante de compras ou adiantamento de numerário a crédito igual a superior a 500 euros e os 5 euros mensais para um valor entre 100 e 299 euros em compras e adiantamentos.

Para além desta funcionalidade amiga da poupança, este cartão do UNIBANCO apresenta ainda uma série de outras vantagens, entre as quais se contam a ausência de anuidade, o fracionamento dos pagamentos em 3 vezes sem juros para compras superiores a 150€ caso pague os fracionamentos na totalidade, 20 a 50 dias de crédito sem juros, descontos em gastronomia, turismo e bem-estar.

Cereja no topo do bolo, se ativar a funcionalidade Mealheiro no cartão de crédito, vai poder acumular 5% de todas as compras que realizar e, após 12 meses, o UNIBANCO oferece-lhe 1,5%, sobre o valor acumulado.

4º Obter rendimentos extra

Se, feitas as contas, o seu rendimento mensal não chegar para pagar todas as despesas que tem e não lhe permitir poupar, aconselhamos a que tente encontrar fontes de rendimento alternativas.

Pode, neste sentido, arranjar um part-time ou tentar vender os objetos e roupas que não utiliza e que se encontram em bom estado numa das muitas plataformas online existentes para o efeito, como é o caso do OLX, da Vinted ou do Custo Justo.

5º Investir

Para maximizar os seus rendimentos, pondere investir algum do dinheiro que poupou em produtos financeiros de baixo risco e retorno assegurado, como é o caso dos Certificados de Aforro e Tesouro ou dos PPR (Planos Poupança Reforma).

Votos: 13 | Pontuação: 4.3

No votes so far! Be the first to rate this post.

Partilhar este artigo