A Produção do iPhone pode etr uma queda de 30%após os Protestos Foxconn

0
64

A produção do iPhone poderia cair pelo menos 30% na fábrica da Foxconn, na cidade chinesa de Zhengzhou, depois da agitação dos trabalhadores ter perturbado as operações, disse uma pessoa com conhecimento directo do assunto à Reuters na sexta-feira. A estimativa era uma revisão para cima de uma previsão interna de Outubro do impacto da produção de até 30% na maior fábrica de iPhone do mundo, disse a fonte, que procurou o anonimato, uma vez que a informação era privada.

Após a agitação operária desta semana na fábrica, acrescentou a fonte, era “impossível” para a empresa retomar a produção completa até ao final do mês – um prazo que tinha estabelecido internamente antes da onda de protestos de quarta-feira.

Foxconn recusou-se a comentar.

No início da sexta-feira, a Reuters relatou que mais de 20.000 empregados, a maioria deles eram novos contratados que ainda não trabalhavam na linha de produção, deixaram a fábrica de Zhengzhou do fornecedor da Apple Foxconn na China, citando uma fonte da Foxconn familiarizada com o assunto. A pessoa disse que as partidas iriam complicar o objectivo anterior da empresa de retomar a produção completa até ao final de Novembro, na sequência da agitação dos trabalhadores que abalou a produção na maior fábrica de iPhone do mundo.

Foxconn pediu desculpas por ter cometido um “erro técnico” relacionado com o salário ao contratar novos recrutas, que os trabalhadores dizem ter sido um factor que levou a protestos envolvendo confrontos com o pessoal de segurança.

A agitação laboral na fábrica de Zhengzhou que começou na quarta-feira marcou raras cenas de dissidência aberta na China que os trabalhadores dizem ter sido alimentadas com reivindicações de salários em atraso e frustração por causa de restrições severas da COVID-19.

Entretanto, uma segunda fonte Foxconn familiarizada com o assunto disse que algumas novas contratações tinham saído do campus mas não se debruçou sobre quantas. A pessoa disse que as partidas não tiveram impacto na produção actual, uma vez que o novo pessoal ainda precisava de fazer cursos de formação antes de trabalhar online.

Foxconn lançou uma campanha de contratação no início deste mês prometendo bónus e salários mais elevados depois de ter tido que promulgar medidas para conter a propagação da COVID-19 em Outubro. As limitações forçaram a empresa a isolar muitos empregados e as condições da fábrica levaram a que vários fugissem.

© Thomson Reuters 2022

Fonte: gadgets360

Votos: 22 | Pontuação: 3.4

No votes so far! Be the first to rate this post.

Partilhar este artigo